OS RELÓGIOS DE CURITIBA

Bastam alguns minutos de passeio por de Curitiba, para perceber a história da cidade sendo contada pelos ponteiros dos relógios, e são relógios de todo tipo, de flores, redondos, a luz solar ou lá no alto dos prédios históricos acompanhando a cidade e a cada segundo ditando o ritmo da cidade.

FARMÁCIA STELLFELD E O RELÓGIO SOLAR

Um dos mais belos exemplares de relógio curitibano fica em frente a Praça Tiradentes, no centro da cidade. A Farmácia Stellfeld, a primeira de Curitiba, foi aberta em 1857 por Augusto Stellfeld e situava-se na Santa Casa de Misericórdia. Em 1866, o estabelecimento foi transferido para a Praça Tiradentes, na quadra em frente à catedral. O novo prédio foi um verdadeiro marco arquitetônico da época, erguido por artesãos alemães que conseguiram fazer um telhado sem pregos. Sua marca registrada é o relógio solar na fachada.

A particularidade desse relógio reside no fato de seus ponteiros serem movidos pela luz do sol. O relógio desenhado na fachada do prédio histórico possui em sua parte superior uma ponta apontando para a praça, e a medida que o sol passa no céu, a sombra dessa ponta vai sendo projetada no relógio e definindo a hora.

Como Curitiba passa boa parte do ano nublada, poucos notam ou entendem a utilidade do relógio solar. Mas no verão, na falta de um relógio de pulso, ele pode ser útil ou no mínimo curioso.

Relogio Solar da Praça Tiradentes. FONTE: http://www.circulandoporcuritiba.com.br

SANTA CASA

A Santa Casa, como é popularmente conhecida, é um dos mais tradicionais hospitais de Curitiba. Inaugurado em 1880 pelo imperador Dom Pedro II, fez história, por antes mesmo da fundação da Universidade Federal do Paraná, já trabalhar com capacitação de médicos.

Lá no alto do prédio da santa casa situa-se um relógio mecânico, circular e de números romanos. É importante ressaltar a grafia do número 4 nesse relógio, que se apresenta na seguinte forma: IIII e não IV como usado atualmente.

IGREJA DA ORDEM TERCEIRA DE SÃO FRANCISCO DAS CHAGAS

Originalmente foi a Igreja de Nossa Senhora do Terço e só recebeu o nome atual após a chegada a Ordem de São Francisco em Curitiba, em 1746.

Abrigou um convento franciscano de 1752 a 1783, e no século 19 foi a paróquia dos imigrantes poloneses. Por volta de 1834 uma parte da igreja desabou, mas sua completa restauração se deu apenas em 1880, por ocasião da visita do imperador D. Pedro II.

A torre do templo e a instalação dos sinos foi concluída em 1883. Nessa época a igreja era frequentada principalmente por imigrantes alemães. Tombada desde 1965, a Igreja da Ordem sofreu nova restauração de 1978 a 1980, e em 1981 passou a abrigar o Museu de Arte Sacra.

Na torre está um relógio circular, mecânico, de números romanos e também grafado o 4 como IIII e não IV como atualmente.

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas. FONTE: http://www.panoramio.com

ANTIGA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE CURITIBA

O projeto da estação, baseado em modelo europeu, coube ao engenheiro, de origem italiana, Michelangelo Cuniberti. Em 1894 o edifício foi ampliado com a construção de mais um pavimento, obra atribuída ao engenheiro Rudolf Lange. Com a transferência, em 1918, dos escritórios da companhia para outro local, passou o edifício por modificações que incluíram a criação de um salão nobre.

Com o desativamento da estação, após a inauguração, em 1972 da nova estação rodoferroviária de Curitiba, foi nela instalado um museu projetado por museólogos da Rede Ferroviária Federal.

No alto do prédio está um relógio circular, com números arábicos, e há ainda dentro do relógio uma segunda numeração interna na cor vermelha, que vai de 13 a 24.

Antiga Estação Ferroviária. FONTE: mpviagenselazer.blogspot.com

CATEDRAL BASÍLICA MENOR DE NOSSA SENHORA DA LUZ

A Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Luz de Curitiba fica na Praça Tiradentes. É um dos mais importantes patrimônios culturais da cidade. Construída de 1876 a 1893, em estilo neogótico, segundo o projeto do arquiteto francês Alphone de Plas. Ocupa o mesmo local da antiga matriz do século 17, bem como o da sua sucessora, construída em 1720. Como suas antecessoras, a Catedral é dedicada e abriga a imagem de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, Padroeira de Curitiba. É Catedral Basílica Menor desde 8 de setembro de 1993, quando completou 100 anos.

Antiga Igreja Matriz. FONTE: http://www.curitiba-parana.net

A Catedral possui dois relógios, um em cada torre, são relógios mecânicos, circulares, (4 grafado IIII).

Catedral de Curitiba. FONTE: http://www.embaixadorstb.com.br

PAÇO DA LIBERDADE

Em 1914, o então prefeito Cândido Ferreira de Abreu (1856-1919) iniciou a construção da primeira sede própria da prefeitura no local do antigo Mercado Municipal, projetada por ele próprio com a ajuda do escultor Roberto Lacombe. O Paço Municipal foi inaugurado em 1916, e em 1948 foi batizado de Paço da Liberdade. Depois de 42 prefeitos, deixou de ser a prefeitura em 1969. Em 1974 tornou-se o Museu Paranaense, assim permanecendo até 2002. Com a restauração concluída em 2009, tornou-se um espaço cultural mantido pelo SESC/PR. É o único edifício curitibano tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

O Paço da Liberdade é frequentemente confundido pelas pessoas, principalmente turistas, com uma igreja, devido a sua torre, não é raro pessoas de fora perguntarem “Que igreja é essa?”.  O relógio do Paço é mecânico, circular, números arábicos, total de três (frente e laterais da torre).

Paço da Liberdade. FONTE: http://www.flickr.com

RELÓGIO DAS FLORES

O Relógio das Flores  está localizado no setor histórico, na Praça Garibaldi. Trata-se de um presente oferecido ao município por joalheiros, no ano de 1972. A partir de 1978, as flores do canteiro passaram a ser repostas a cada trimestre, obedecendo à floração das estações.

Apresenta oito metros de diâmetro, com os ponteiros confeccionados em fibra de vidro. Seu funcionamento é baseado na emissão vibrátil do quartzo, que oferece maior precisão, suscetível a um desarranjo máximo de 30 segundos por ano. O acionamento se dá pelo envio de impulsos eletrônicos de um relógio-comando instalado na Igreja do Rosário. Em 1980, a construção do belvedere permitiu sua melhor visualização.

Relógio das Flores. FONTE: curitiba.paises-america.com

 IGREJA MATRIZ DE SÃO JOSÉ, EM SANTA FELICIDADE

 Em 1891, atendendo à forte religiosidade dos imigrantes italianos, erigiu-se a Igreja São José, em Santa Felicidade, tornando-se um importante elemento agregador dos italianos que fizeram o bairro. A fachada apresenta elementos românticos e clássicos, tendo o campanário (torre sineira) separada da nave principal, conforme tradição italiana.

O relógio fica no campanário, sendo mecânico, circular, números arábicos e com quatro faces.

Igreja de Santa Felicidade. FONTE: http://www.circulandoporcuritiba.com.br

RELÓGIO DA PRAÇA OSÓRIO

A Praça Osório nasceu em 1874 e recebeu, em 1878, o nome de Largo Oceano Pacífico. É Praça General Osório desde 1879. Teve coreto em 1914, construído pelo prefeito Cândido Ferreira de Abreu e demolido no início dos anos 50. Seu relógio fica em um pedestal na entrada da praça, voltado com uma face para a praça e outra para a Rua das Flores, foi restaurado em 1993, relembra o primeiro lá instalado, e marca a hora oficial da cidade. Tem forma circular, com números romanos e o número 4 grafado como IIII.

Relógio da Praça Osório. FONTE: http://www.circulandoporcuritiba.com

RELÓGIO DA RUA RIACHUELO

A Rua Riachuelo é a primeira rua de Curitiba, nasceu próxima à matriz da cidade, a Praça Tiradentes. A via era um dos caminhos que ligava a vila de Curitiba ao litoral, no século XIX. O local sempre teve vocação para o comércio, além de ser frequentemente citada nos jornais como ponto de referência para entrega de objetos perdidos, escravos fugidos, venda de ingresso para circos e leilões de fazenda, jóias e relógios

A rua foi revitaliza, e o novo calçamento antiderrapante facilitou a vida de quem passa por ali, para felicidade dos comerciantes. A iluminação modernizou uma das áreas mais degradadas da região central, o que se espera tenha ajudado a diminuir as ocorrências policiais. A maioria das pessoas que passam por ali diariamente nem deve ter percebido que alguma coisa não voltou a funcionar. Um relógio trazido da Alemanha em 1895, pelo proprietário da loja, Roberto Raeder, marca há anos a mesma hora: 11h38. Na entrada do número 147, no qual funciona hoje uma loja de roupas usadas, uma placa informa que o marcador histórico foi restaurado em 1996, durante o mandato de Rafael Greca. O relógio fica na sacada do “prediozinho” na esquina com a Travessa Tobias de Macedo.

Relógio da Riachuelo. FONTE: http://www.flickr.com

Relógio da Riachuelo. FONTE: http://www.jornaldelondrina.com.br

RUA 24 HORAS

Inaugurada em 1991, a Rua 24 Horas foi reaberta em novembro de 2011 e voltou a ser ponto de referência e encontro para quem procura boa comida, presentes, leitura e lazer bem no centro da cidade.

Restaurada, a Rua voltou a ostentar a arquitetura que a tornou conhecida mundo afora, como os grandes arcos e o relógio com as 24 horas do dia, e reabriu com um variado mix de comércio e serviços.

Abriga também o espaço Curta Curitiba, uma Central de Atendimento ao Turista. Onde o visitante encontra as diversas informações turísticas da cidade e pode organizar sua estada na capital paranaense, adquirindo produtos e serviços turísticos.

Dois grandes relógios, um em cada entrada (ou saída), marcam horas em 24 intervalos, em lugar de 12. São iluminados e comandados por uma central eletrônica a quartzo.

FONTES:

http://edcapistrano.blogspot.com.br/2010/11/relogios-de-curitiba-1.html

http://www.catedralcuritiba.com.br/a_catedral.php

http://www.circulandoporcuritiba.com.br/

http://www.curitiba.pr.gov.br/idioma/portugues/pracaosorio

http://www.flickr.com/photos/edison_gonalves/6041608419/

http://www.jornaldelondrina.com.br/brasil/conteudo.phtml?ema=1&id=1120000

http://www.viaje.curitiba.pr.gov.br/pontosturisticos/rua24horas.html

Anúncios