PONTE PRETA – CURITIBA

Para os curitibanos a ponte preta é conhecida visualmente e desconhecida historicamente. Por ser tão próxima a ferroviária, ao shopping estação e a rodoviária, seus arredores é conhecido por quem frequenta esses locais.

Ponte preta com locomotiva exposta na década de 80. FONTE: vidadmaquinista.blogspot.com

Ponte Preta. FONTE: circulandoporcuritiba.com.br

Esta é a segunda ponte construída no local. A primeira foi inaugurada em 2 de fevereiro de 1885 e era conhecida como Ponte da Rua Schmidlin, pois passava sobre a via assim denominada em homenagem ao proprietário dos terrenos do local. Ela foi a última etapa da construção da ferrovia ligando Paranaguá a Curitiba.

Com o aumento do tráfego ferroviário e do peso das composições, ela foi substituída pela atual ponte, inaugurada em 1944, com estrutura metálica importada dos Estados Unidos (naquela época não havia produção de aço no Brasil) e pedras talhadas em formas geométricas. Ela foi montada sob a supervisão do seu projetista, o engenheiro Oscar Machado da Costa.

Placa de inauguração da ponte. FONTE: circulandoporcuritiba.com.br

Considerada uma obra de arte da engenharia ferroviária, a Ponte Preta é única no mundo. Sua arquitetura foi especialmente desenvolvida, já que naquela época não existia o conceito de protensão (tensões prévias no concreto).

A empresa que fabricou a ponte nos Estados Unidos exigiu um documento que garantisse a estabilidade da obra, pois nunca tinha construído algo semelhante. A Ponte Preta foi desativada nos anos 70, devido à inauguração da nova estação rodoferroviária, e tombada como patrimônio histórico estadual em 1976.

Vista superior da ponte. FONTE: amantesdaferrovia.com.br

A ponte custou 271 contos de réis, 132 mil réis e 102 réis e nela foram empregadas 21.178 toneladas de material. O superintendente do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná), José La Pastina Filho, conta que a ponte até já foi de outra cor.  “Originalmente a ponte era na cor prata. Com os anos ela foi pintada na cor preta e com isso surgiu o apelido Ponte Preta. O apelido se popularizou de tal forma que o viaduto da João Negrão até hoje é conhecido como Ponte Preta”, explica.

Ponte na sua cor original. FONTE: tha.com.br

Uma situação muito comum na ponte preta devido a sua altura, são acidentes com veículos menores que 3,60m.

Acidente na ponte preta. FONTE: gazetamaringa.com.br

Desde o início do mês de julho de 2011, os motoristas que circulam pela Rua João Negrão e pela Avenida Sete de Setembro, próximas à Ponte Preta, no centro de Curitiba, recebem avisos luminosos através de sensores  para evitarem acidentes. Os veículos com mais de 3,60m agora são alertados quando se aproximam do local.

Segundo a assessoria de imprensa da Urbanização de Curitiba (Urbs), outros projetos já foram feitos no local para evitar acidentes, mas sem êxito. A Ponte Preta, inaugurada em 1944, é tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional e já sofreu danos por causa de inúmeras colisões que envolvem veículos com mais de 3,60m.

Uma das medidas discutidas foi o rebaixamento da pista sob a ponte, mas os estudos mostraram que isso seria inviável. Rebaixar a pista significaria alterar todo o sistema viário do entorno, porque o motorista que saísse, por exemplo, da Sete de Setembro já entraria numa pista rebaixada o que poderia criar situações de risco. Outro motivo seria o risco de enchentes no local rebaixado.

No ano de 2012 iniciou-se a restauração da ponte, numa ação conjunta entre a Secretaria de Estado da Cultura (SEEC), Prefeitura Municipal de Curitiba e a Thá Incorporadora, responsável pela obra de revitalização. A restauração da Ponte Preta será o primeiro exemplo de uma parceria público-privada que irá unir a preservação da memória ferroviária com a preservação de um bem tombado. E o mais interessante é que essa junção permitirá que Curitiba receba um bem restaurado que servirá como passarela aos seus cidadãos. Ou seja, a restauração afetará diretamente a cidade. A ponte ligará o empreendimento da THÁ localizado na Avenida Sete de Setembro ao campus da Universidade Federal do Paraná, que fica do outro lado da ponte.

Empreedimento da construtora THÁ e o projeto de restauração. FONTE: tha.com.br

DADOS DA PONTE:

Comprimento: 32,89 metros
Altura do vão central: 21,28 metros
Altura dos vãos laterais: 5,80 metros

FONTE:

amantesdaferrovia.com.br

circulandoporcuritiba.com.br]

tha.com.br

gazetamaringa.com.br

curitiba.pr.gov.br

gazetadopovo.com.br

vidadmaquinista.blogspot.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s